terça-feira, dezembro 05, 2006

risos transparentes

quando conhecemos alguém, como por exemplo um novo colega de trabalho, qual é a pergunta mais frequentemente colocada? de onde és? que idade tens? já namoras? sabes a tabuada dos 9? há uma quantidade infinita de questões a colocar, no sentido de ficarmos a saber algo mais sobre essa pessoa nova e de, no futuro, podermos utilizar algumas das suas respostas em conversas mais demoradas. há sempre uma vaga esperança de encontrarmos alguém interessante, inteligente e perspicaz, que tenha um excelente sentido de humor e bons gostos culturais. pois, esperança há... mas o resto quase nunca se encontra, nem mesmo naquelas pessoas em que investimos um bocado mais. como sou "viciado" em música e cinema, esses são, normalmente, os tópicos aflorados em primeiras conversas. começa, geralmente, aqui o desvanecimento de qualquer veleidade. de chris de burgh a patrick swayze, de scorpions a steven seagal, de céline dion a van damme, já apanhei com quase tudo. já lá vai o tempo em que ficava mais decepcionado com este tipo de gostos. quem sou eu para criticar o gosto dos outros? o marcelo rebelo de sousa? o miguel sousa tavares? o cláudio ramos?
depois desta fabulosa introdução, sinto-me capacitado para vos revelar que encontrei a pergunta definitiva, penso eu, aquela que revela traços mais incontornáveis da personalidade de alguém. a partir de agora, sempre que conhecer alguém, vou colocar-lhe esta questão apenas: "o que é que te faz rir?". chega. apenas isto. porque o que nos faz rir define-nos como ser humano. uma pessoa que responda, por exemplo, malucos do riso, batanetes ou fernando rocha, não subirá muito na minha consideração; mas, por outro lado, se me disserem monty python, ou woody allen, ou seinfeld, ou friends, teremos motivos para longas e demoradas conversas.
por isso, coloco aqui neste blog o meu primeiro desafio.
no sentido de ficar a conhecer um pouco melhor os frequentadores deste blog, desafio-os a revelarem o que é que vos faz rir.

7 comentários:

Tovarich Gina disse...

ui... se me fizesses essa pergunta ficava uns bons minutos a pensar como havia de responder... mas já que deste exemplos, a questão tornou-se mais objectiva:

- seinfeld
- the nanny
- friends
- dharma and greg
- sei lá... agora não me lembro de + nada...
filmes há muitos... (n gosto de jim carrey, gosto de humor inteligente e não de palhaçada)

tulipa_negra disse...

ora então aqui vai. o que definitivamente me faz rir é:

- friends
- Mafalda, de Quino

e alguns filmes claro...

Tovarich Gina disse...

sim, o quino!!! como me pude esquecer!!!!!!!!!!!! mt bem, tulipa!!!

TWO disse...

Pois eu em jeito mais "negro" vos digo o que me faz rir.
A angústia, a estupidez, a mentira, a ignorância daqueles que se fingem ignorantes. Os abutres, os traidores, as "senhoras menos bem" e os senhores destas. Os convencidos , os feios e os bonitos . E tudo ou todos aqueles que simplesmente não deviam existir.

marta r disse...

Eu rio-me de coisas parvas. Quanto mais desconcertantes, melhor. E não resisto a anedotas que abordam a dicotomia pulgas/elefantes!

Daniela disse...

sem dúvida estes:
- seinfeld
- south park
- liga de cavalheiros
- o gato fedorento nos antigamentes
- perfeito anormal
e de momento não me consigo lembrar de mais nada...

Nan disse...

monty python (ah, aquela "busca do cálice sagrado"...). woody, sempre à volta de si mesmo mas, sabe-se lá porquê, sem cansar...

(não gosto do seinfeld, mas desconfio que é mais uma coisa visceral, a tal de falta de empatia, sem explicação).

friends...muito bom.

the man in black...delirante.

rio-me com bons jogos de palavras. com o barulho que a massa cinzenta faz perante o non sense.
abomino o óbvio. e esses programas anedóticos tipo fernando rochas.

rio-me com as campanhas do joão vieira à presidência da república, e com outras coisas dele.

rio-me das caras impávidas e virginais das plateias do abc do sexo.

ria-me com os programas do hermam, do tempo em que ele foi uma pedrada no charco na nossa televisão (constou-me que vai voltar a esses formatos...veremos.)

rio-me, e muito, com os gato fedorento, até com as crónicas do rap na visão. oxalá não se percam neste país de piadas fáceis.

e tu fizeste-me rir com essa do cláudio ramos...

:)