terça-feira, junho 06, 2006

momentos inolvidáveis 3

Filme: Cyrano de Bergerac
Actores: Gerard Depardieu e Anne Brochet
sinopse: depois de ter conhecimento de que a prima roxanne (anne brochet) se apaixonou por um cadete (christian) da sua academia, cyrano decide "esconder" os seus verdadeiros sentimentos por ela, ao mesmo tempo que ajuda o "limitado" cadete a conquistar o coração dela, através de poesia e prosa romântica. envergonhado do seu aspecto, cyrano nunca ousou abrir o seu coração a roxanne, escudando-se na sombra do físico perfeito do amado dela. as suas palavras conquistavam o seu coração, mas era christian que "recolhia" os louros. durante anos, mesmo depois da morte, em combate, do seu amado, roxanne acredita fielmente que as palavras apaixonadas e intensas que leu pertenciam ao seu cadete. nomeadamente uma carta, a última, que ela guardava religiosamente no peito, por baixo da roupa.
cena: muitos anos passaram. roxanne está num convento. cyrano visita a prima todos os sábados. num deles, quando se dirigia para lá, é atingido cobardemente por uma viga de madeira, que o deixa combalido e a sangrar. no entanto, o seu chapéu cobre-lhe os ferimentos na cabeça e ele surge, naturalmente, perante a prima, como se nada tivesse acontecido. ele pede-lhe para lhe deixar ver a última carta e começa a ler, enquanto a noite começa a roubar a claridade ao dia. ela ouve as suas palavras e vira-se para ele, encontrando-o de olhos fechados, já sem luz para conseguir visualizar as letras da carta. no entanto, continua a ler, sabedor de todas as palavras que ela continha. nesse momento, ela consciencializa-se de que as cartas, os poemas e a paixão eram dele e aproxima-se, para o ver... a desfalecer. assegura-lhe então que o seu aspecto físico não era relevante e que ela tinha sido conquistada pelas suas palavras e não pela beleza de christian. ele levanta-se, muito combalido e a sangrar da cabeça, e enfrenta a morte, empunhando a sua espada na escuridão, prometendo fazer frente aos espíritos que lhe apareçam pela frente. ele que havia disputado e vencido centenas de duelos, que havia granjeado dezenas de inimigos por causa do seu feitio intrépido e destemido, baqueava assim de uma forma cobarde, pelas costas. e é nesta altura que diz a uma das frases mais sentidas da história do cinema:
"Falhei em tudo, até na minha morte!"
Para além de este ser o meu filme preferido de todos os tempos, esta cena é a todos os títulos notável, de tão bem interpretada e pela carga emocional que encerra.

4 comentários:

Lu@ disse...

O filme é espectacular, emotivo até dizer chega. Toca-nos cá dentro e lembra.nos a pureza de um amor de doação total...felicidades!*

BR disse...

Categoria Isto é Um Filme ou Um Poema?

É um poema... do início ao fim.

isaac davis disse...

br:
não teria dito melhor! é mesmo um longo e inspirado poema!

lua:
irónico como o amor que cyrano ocultou durante anos por roxanne acaba por ser retribuído quando ele está a morrer... irónico também ele ficar a saber antes de morrer que afinal o que ela amava eram as suas palavras... tudo o que ele deveria ter feito para ser totalmente feliz... era ter-lhe dito o que sentia por ela!
retribuo os desejos de felicidades.

Lu@ disse...

Isaac :acho que todos nós numa certa altura da vida, temos um cyrano dentro de nós. Não dissemos o que deveria ter sido dito na altura certa, não fizemos o que deveríamos ter feito...e falhamos.O que é triste. bjs.