segunda-feira, março 19, 2007

pai

lembro-me da primeira bicicleta que tive, era verde e tinha um banco comprido, com encosto; lembro-me de te chateares muito comigo quando me ensinaste a andar de bicicleta, porque eu não me endireitava em cima dela; lembro-me de ir contigo aos jogos de futebol, de me trazeres batatas fritas ou amendoins do bar ao intervalo; lembro-me de teres ficado chateado comigo quando fui ter contigo, ao café onde trabalhavas, empunhando um pau com um saco de plástico verde, dizendo "pote, pote, pote", tu que querias que eu fosse benfiquista como tu; lembro-me de ter mudado de escola primária três vezes porque tu procuravas sempre um emprego melhor para nos poderes oferecer outro nível de vida; ainda hoje guardo aquele carrinho, um dodge vermelho e branco, da matchbox, que me trouxeste de coimbra quando foste tirar a carta de condução e chegaste às tantas da madrugada; no dia seguinte levei o carro para a escola e pensei em ti o dia todo (sim, nessa altura os brinquedos ainda tinham algum significado, porque eram tão raros); lembro-me de que fazia tudo para não te desapontar; lembro-me que não te pedia brinquedos, como as outras crianças pediam, porque sabia que não os podias dar; mas lembro-me que um dia, sem te pedir nada, chegaste a casa com um computador spectrum 78k e me deste uma alegria enorme, tal como tinhas dado quando me ofereceste a minha primeira bicicleta; ensinaste-me a conduzir, fizeste-me ver que tinhas total confiança em mim e foi a melhor forma de me ensinares a ser responsável e a retribuir o teu voto de confiança; eu cresci sempre ao teu lado e tentei ganhar o mesmo respeito e orgulho que eu tinha por ti, tentei sempre não defraudar as expectativas que tinhas para mim; vi-te subir na vida, passar de empregado a proprietário, ganhar o respeito de toda a gente com o teu trabalho.

ao longo de tudo isto, senti-me sempre orgulhoso de ti. tal como ainda me sinto hoje. ofereceste-me as mais sólidas bases que se pode ter. devo-te tudo, a ti e à mãe! por isso espero, ainda hoje, que sintas orgulho em ser meu pai, porque eu sinto muito orgulho em ser teu filho!

2 comentários:

tulipa_negra disse...

que homenagem bonita a que fazes ao teu pai! revi-me nas tuas linhas...
também dediquei o post de hoje ao meu, oxalá estivesse tão bonito como este... parabéns!

A. Duarte Lázaro disse...

bonita homenagem...