segunda-feira, setembro 25, 2006

gerador de antipatia

por saber exactamente como vou ser atendido e tratado, costumo frequentar quase sempre os mesmos cafés, restaurantes, clubes de vídeo, lojas de revistas, etc.. isto porque quando experimento deslocar-me a um sítio diferente sou quase sempre tratado abaixo de cão. as pessoas são antipáticas, mal humoradas, anti profissionais. numa pastelaria, inclusivamente, que raramente frequento (nem nunca mais lá pus os pés novamente), cheguei a ser atendido por uma moça, ao balcão, que me perguntou o que é que eu queria enquanto tentava tirar qualquer coisa com o indicador da sua narina esquerda.
até para meter gasolina costumo ir sempre ao mesmo sítio. quando, por imperativos vários, tenho que me deslocar a um outro posto de abastecimento, acontece sempre algo desagradável. eu tenho o hábito de sair do carro e meter eu mesmo o combustível no carro, para não perder tanto tempo. o procedimento habitual é simples: tirar a mangueira, colocar a quantia pretendia na máquina, meter a gasolina, pagar e pirar-me. nesta situação específica a máquina não me estava a deixar colocar a quantia pretendida, embora eu tentasse repetidamente fazê-lo. o funcionário do tal posto, que até devia sentir-se grato por eu estar a fazer o seu trabalho, a cerca de 10 metros de mim, começa a berrar: "eh pá, escusa de estar aí a tentar fazer isso porque as máquinas estão avariadas, pá"... (!!!)
1º. se há coisa que me irrita é que pessoas, que não me conhecem de lado nenhum, me tratem por "pá". considero isso uma falta de consideração e de educação extremamente grave;
2º. eu não sabia que as máquinas estavam avariadas, precisamente porque não foi colocado nenhum papel a avisar.
3º. eu estava a tentar reduzir o trabalho do tal funcionário ao mínimo. neste caso, ele só teria que estender a mão e receber os meus 30 euros, sem ter que dizer nada, como normalmente acontece.
é claro que eu sei que o tal funcionário nunca iria falar assim a um tipo que estivesse de fato e gravata e tivesse um bmw ou um audi. e a funcionária do balcão da tal pastelaria também nunca procederia daquele modo (quando muito, coçava a cabeça). mas é assim... eu chego a um sítio novo e levo sempre com cartões de visita deste género.
eu não sou, de certeza absoluta, a pessoa mais simpática do mundo, longe disso (numa tabela classificativa à escala mundial, ficaria atrás do alberto joão jardim e do josé saramago). acho, todavia, que toda a gente merece ser tratada da mesma forma. por isso, funcionários das pastelarias, cafés, restaurantes, postos de combustíveis, etc., façam o favor de desprezar e de serem igualmente malcriados para com todos os outros clientes. eu não quero ter essa primazia.

2 comentários:

A. Duarte Lázaro disse...

fogo... tens mesmo azar!!!...
o episódio do café é nojento...
há que ser profissional em todas as profissões e no atendimento ao público isso inclui a simpatia...

tulipa_negra disse...

dá logo vontade de dizer a essas pessoas que mudem de emprego, porque para lidar com pessoas realmente não têm jeitinho nenhum.
também costuma acontecer-me isso, talvez por ter cara de miúda e por não usar saias e saltos altos... irrita-me tanto que sou "fiel", tal como tu, aos locais onde sou bem tratada.
e tratarem-te por "pá"... quer dizer... por amor de deus!
beijinho