segunda-feira, julho 03, 2006

sorry man


(imagem tirada do blog "os dias úteis", do pedro ribeiro.)

tive pena que a inglaterra se tivesse atravessado no nosso caminho. sempre adorei o futebol inglês, os clubes ingleses e a forma como os adeptos vivem os jogos (os verdadeiros, aqueles que vão aos estádios, não os arruaceiros que utilizam o futebol como pretexto para arranjar confusão). também sinto uma grande simpatia por Eriksson, embora tivesse treinado um clube rival em portugal. deixou sempre uma imagem de humildade, cordialidade e sentido de humor, mesmo nas derrotas, como aconteceu agora. tenho pena que uma geração de jogadores brilhantes, como lampard, terry, gerrard, ferdinand, owen e rooney, tivesse ficado assim arredada, mais uma vez, de uma final.
em todos os europeus e mundiais, a minha segunda selecção é sempre a inglaterra. desta vez perderam com a minha primeira selecção, a de portugal. mas confesso que tendo portugal que cair aos pés de uma selecção (espero que não, claro) optaria pela inglaterra e torceria por eles como torceria por portugal. foi bonito o final do encontro, com os jogadores portugueses a confortarem os seus colegas de equipa (no caso o chelsea e o manchester united).
é caso para dizer, mesmo, sorry eriksson, tu és muito simpático e competente, treinas jogadores fantásticos, mas nós temos que seguir em frente e, se possível, chegar até Berlin. so long...

2 comentários:

ccc disse...

Pois ... não podemos ganhar todos não é verdade? E desta vez soube bem, muito bem mesmo :)

Cereja_no_Bolo disse...

Na música (e noutras coisas) estamos em sintonia, no futebol não. Nunca fui à bola (eis uma expressão que encaixa bem aqui) com os ingleses, embora lhes reconheça o jeitinho com os pés. Hoje lá irei torcer pelos italianos, só para não ver os alemães na final. E para que não pense que sou uma miúda que sabe teorizar sobre futebol, vou já adiantando que o Mundial é mesmo o único acontecimento futebolístico que me prende ao ecrã. Só para terminar, que ganhe Portugal.