quarta-feira, maio 17, 2006

20 anos depois

gosto de música, aliás, adoro música, foi com ela que eu vivi as minhas primeiras paixões e os meus primeiros desgostos amorosos, na escuridão do meu quarto, enquanto vertia umas lágrimas ingénuas, em cena típica de novelas vespertinas. e havia alturas em que molhava o cabelo, fazia um penteado à bryan ferry, colocava a música no gira-discos (sim, ouviram bem, gira-discos!) e fazia o playback, tipo teledisco, do "Avalon", dos Roxy Music, ou do "Never again", dos Classix Nouveaux (neste caso escusava de me preocupar com o penteado, já que o vocalista era careca...). foi uma fase turbulenta da minha vida, as notas eram curtas, os pais reclamavam, inventavam castigos diferentes todos os dias, mandavam-me tirar os posters da nena e da kim wilde da parede, etc.. tenho, obviamente, saudade disso tudo (quem é que não tem saudade da sua adolescência?).
confesso que, agora, ao ouvir novamente as músicas que me acompanhavam nesses momentos, chego a sentir o mesmo, aquela nostalgia, a necessidade de estar perto da pessoa amada, a sensação da ausência que se quer preenchida, o ansiar desalmadamente pelo reencontro com a pessoa que nos povoa a mente. e as músicas que mais me fazem "regressar ao passado" são baladas típicas dos anos 80, do género "Carrie", dos Europe, "The power of love", dos Frankie goes to Hollywood, ou "Against all odds", do Phil Collins. imediatamente sou transportado para os meus 14/15 anos, para as sensações difíceis de apagar da memória, como o primeiro e tímido beijo, a primeira vez que se anda na rua de mão dada com a namorada, os constantes comentários jocosos dos pais sobre o facto de namorarmos, o embaraço notório na nossa face quando nos cruzávamos com os pais dela na rua, etc..
sou um saudosista, um nostálgico. mantenho as sensações de outrora, o romantismo exacerbadamente despojado sobre as músicas que ouço, as do passado e as da actualidade. gosto de atribuir significados às músicas, de lhes "agrafar" momentos e pessoas. e há muitas pessoas, felizmente, nessa lista, a quem já "dediquei" músicas, acondicionando-as confortavelmente no meu baú de recordações.
espero daqui a 20 anos sentir o mesmo que agora, ao recordar as músicas que ouço actualmente, como por exemplo The Czars, Marjorie Fair, Antony and the Johnsons, The Blue Nile, e lembrar-me das pessoas que lhes estão "agrafadas". será um bom sinal!

2 comentários:

Lu@ disse...

Nostálgicos...somos muito estou a ver :)

Shinda disse...

Não mudes... Não. Acabarás a chorar o que fizeste e o que querias ter feito.