sábado, junho 19, 2010

à espera de um novo rumo


um dia hei-de ter coragem. um dia hei-de ter forças para deixar tudo para trás e encontrar, finalmente, o meu rumo. fique o que ficar para trás. quando alguma coisa tarda em fazer sentido, a encontrar um enquadramento plausível dentro de um cenário racional, lógico e real, será melhor despedirmo-nos e enfrentar de vez o nosso mar de interrogações. a vida é feita de despedidas, de desatar de nós que ajudamos a atar, umas vezes conscientemente, outras de uma forma inconsciente. alguns desses nós tentamos manter e até fazemos tudo para que eles não se desfaçam; mas outros há que, por muito que tentemos, sabemos que se vão desfazer. já tolstoi dizia que "o lugar que ocupamos é menos importante do que aquele para o qual nos dirigimos". apesar de não saber ainda qual o meu destino, sei que o meu barco está mais do que preparado para partir. apenas falta desatar dois ou três nós...

1 comentário:

rasgos em rosa e cinza disse...

vê lá bem quais são os nós que vais desatar...
Gosto da nova imagem.