quarta-feira, abril 22, 2009

desafio óscares

respondendo a um desafio lançado pelo tadeu, aqui ficam as minhas impressões sobre os óscares e os anos em que eu considerei ter havido alguma injustiça. começo por 1991, em que, para mim, existiu uma campanha negra (à semelhança daquela que o nosso primeiro-ministro afirma que tem sido alvo) contra gerard depardieu, para ele não vencer o óscar de melhor actor, mais do que merecido, pela sua grandiosa e virtuosa interpretação em "cyrano de bergerac". quem ganhou nesse ano? pois, foi jeremy irons, pelo filme "reversal of fortune", num papel simples, básico e muitas vezes visto em cinema. aceitaria, porém, que depardieu tivesse perdido o óscar para robert de niro, que, em "awakenings", tem uma actuação brilhante.
em 1990, "driving miss daisy" venceu o óscar de melhor filme, quando no lote dos nomeados havia outro filme que, na minha opinião, merecia ganhar: "dead poet's society". até "field of dreams", igualmente nomeado nesse ano, me pareceu um filme bem melhor que o entediante "driving miss daisy".
em 1994 venceu "forrest gump", um filme simpático, divertido e uma história bem americana sobre um "zé ninguém" que se transforma numa pessoa muito bem sucedida a todos os níveis. o óscar acabou, na altura, por ser bem entregue. mas agora que olhamos para os outros nomeados nesse ano vamos filmes que "amadureceram" muito melhor ao longo dos anos: "four weddings and a funeral", "pulp fiction" e o fabuloso "the shawshank redemption". 1994 foi, talvez, das edições com um grupo mais forte de nomeados a melhor filme. resta dizer que o quinto nomeado era "quiz show". outra grande injustiça nesse ano foi a não nomeação de tim robbins para melhor actor por "the shawshank redemption".
em 1995 não concordei nada com a vitória de susan sarandon para melhor actriz, pelo filme "dead man walking". elisabeth shue, em "leaving las vegas", e meryl streep, em "the bridges of madison county", pareciam escolhas mais acertadas.
em 1998, um dos anos mais fracos na história dos óscares para mim, também não concordei em nada com a vitória de "shakespeare in love" e muito menos com a vitória de gwyneth paltrow como melhor actriz, num papel completamente banal. mas as alternativas também não eram muito fortes, refira-se (competia contra fernanda montenegro, "central do brasil"; meryl streep, "one true thing", emily watson, "hilary and jackie", e cate blanchett, "elizabeth"). já o filme ganhou a um dos meus filmes preferidos: "la vita è bella", de roberto benigni, que, a meu ver, merecia ganhar. ou até "saving private ryan", de steven spielberg. agora "shakespeare in love"... por amor de deus.
em 2004 venceu "million dollar baby", mas no lote dos nomeados a melhor filme estava igualmente um dos meus filmes preferidos, "sideways". como melhor actor ganhou jamie foxx, por "ray", quando paul giamatti, de "sideways", nem sequer foi nomeado.
em 2005 achei a escolha de "crash" para melhor filme um pouco estapafúrdia. "brokeback mountain" ou "munich" teriam sido muito melhores escolhas.
em 2006 venceu "the departed", que muita gente considera uma obra menor de martin scorsese, derrotando outro dos meus filmes preferidos: "little miss sunshine". gostei, no entanto, da vitória de alan arkin como melhor actor secundário por "little miss sunshine", mas fiquei indignado com a não nomeação de steve carell, que eu achei simplesmente fantástico neste filme.
e é isto, espero que tenha respondido em condições ao teu desafio, caro tadeu.

2 comentários:

na outra banda disse...

obrigado por ter feito o desafio.
o que escreves vai de encontro com o que penso e o caso do scorcese com "the departed" é um claro de como estes prémios apanham sempre o comboio a andar. com tantas outras obras fascinantes, a "pressão" em premiar scorcese acontece com um filme "menor", por assim dizer.
foi um exercício interessante, espero que tenhas gostado de o fazer também :)

isaac davis disse...

ora essa, gostei de o fazer. se há assunto de que gosto de falar ou escrever é cinema. obrigado por te teres lembrado de mim.