sexta-feira, março 27, 2009

27 de março x 2

quis o destino, e uma pontaria incrível, que os meus dois filhos nascessem no mesmo dia, embora com seis anos de diferença. 27 de março é, sem dúvida, o dia mais importante do ano, tanto para mim como para a minha mulher. faz hoje 10 anos que fomos pais pela primeira vez. o pedro nasceu às 3h15 do dia 27 de março de 1999, mas devia ter nascido no dia 26. a minha mulher deu entrada no hospital de viseu às 9h00 desse dia, uma sexta-feira, lembro-me perfeitamente porque nesse mesmo dia, ainda de manhã, apanhei uma multa de estacionamento. quase dezoito horas depois da entrada no hospital, ou seja, das 9 da manhã de sexta até às 3 da manhã de sábado, o pedro continuava sem vontade de "sair", até que o obstetra se decidiu pela cesariana. a minha mulher, já farta de sofrer, agradeceu a todos os santinhos. despedi-me dela com um beijo na testa e voltei a transmitir-lhe toda a minha confiança. lembro-me depois de ter esperado, sozinho, nos corredores do hospital, à espera de ouvir um choro. o silêncio imperava àquela hora e facilmente se daria conta de alguma "novidade". só que eu... não dei. de tantas voltas que dei naqueles corredores, perdi o momento em que as enfermeiras saíram do bloco com o pedro, levando-o para a enfermaria. só quando elas voltaram é que lhes perguntei se a minha mulher já tinha dado à luz. elas responderam que sim, que já estava lá em cima (no sexto andar) e que vinham buscar a minha mulher para a levarem igualmente para cima. ainda meio ensonada, com a anestesia, ela estava, de alguma forma, aliviada e muito feliz. quando chegamos à enfermaria, fui eu o primeiro a ver o pedro. estava de olhos abertos e não chorava. quando entrei no quarto, ele olhou para mim, de olhos esbugalhados. entretanto, chegou a enfermeira, que pegou nele e o levou até à minha mulher. o que se seguiu ficou-me para sempre registado na memória: a minha mulher, ainda deitada, pegou nele e deu-lhe um beijo na face, dando-lhe as boas vindas ao mundo. eu ainda estive uns minutos com os dois, extremamente babado e orgulhoso, mas depois, basicamente, as enfermeiras mandaram-me embora, porque era tarde (4 da manhã) e havia que respeitar o descanso e o sossego das outras mamãs e dos seus bebés. horas depois, no trabalho, contava os segundos para a saída, para poder voltar a ver o meu filho e a minha mulher. tive então, finalmente, oportunidade para pegar no pedro ao colo pela primeira vez. o peso da responsabilidade que senti naquele momento ainda continua bem presente hoje, dez anos depois.
foram momentos únicos e inesquecíveis, vividos da mesma forma... seis anos mais tarde. com a mariana correu tudo de uma forma perfeita. o único aspecto que não correu como estava previsto foi... a data de nascimento, que estava marcada inicialmente para uma semana depois. mas a mariana, ao contrário do irmão, queria vir ao mundo o mais rapidamente possível. assim, no dia 27 de março de 2005, a mariana nasceu, sem dar muita "luta", às 17h00. a minha mulher ainda ficou no bloco operatório cerca de duas horas, tempo em que usufruí da minha filha, acompanhado por um casal amigo. eles ainda hoje se recordam de uma frase que eu lhe disse na altura: "já sabes, discotecas só a partir dos 33 anos". o pedro, que fazia seis anos nesse dia, ficou contente com a chegada da irmã, mas essa festa de anos, à noite, com família e amigos, como sempre, foi um pouco estranha, sem a presença da mãe. foi o seu último aniversário "a solo". a partir daí, foi sempre a dividir. e este ano não será diferente. aliás, será diferente num aspecto: a mariana, este ano, está pela primeira vez tão radiante como o irmão por fazer anos. já anda a falar neste dia há muito tempo, no dia em que vai fazer 4 anos e "vai ficar grande", segundo ela.
assim, hoje, mais logo portanto, dar-se-á início aos festejos, que no ano passado duraram 3 dias. de manhã, bolo de aniversário do pedro na escola; à tarde, bolo de aniversário da mariana no atl; à noite, jantar com família e amigos e, sim, acertaram, mais bolos de aniversário. no sábado, de tarde, festa de aniversário para os convidados do pedro e da mariana, em casa, com mais "parabéns a você" e bolos de aniversário. portanto, estamos a falar de muitos bolos, sempre a dobrar, o que em termos financeiros é equivalente ao pib da somália. dá uma trabalheira do catano, é verdade, mas é tão gratificante vê-los felizes. e, afinal, é só uma vez por ano...

3 comentários:

un tocco di zenzero disse...

:) que ternura ouvir falar dos teus momentos felizes!! Parabens!!!

na outra banda disse...

parabéns! beijocas aos miúdos e vê lá se não comes muitos bolos :)

saltarica2002 disse...

Muitos parabéns aqui da prima...e passem pelo meu cantinho, que deixei lá um miminho! (Obrigatório comentar!)

Leonor