quarta-feira, setembro 17, 2008

pedro no viseu futsal


iniciei-me nas lides futebolísticas com 10 anos, nos infantis. na altura, lembro-me bem de, durante os jogos, tentar encontrar o meu pai na assistência. queria mostrar-lhe que sabia jogar futebol e deixá-lo orgulhoso do meu desempenho no terreno de jogo. depois passei ainda pelos iniciados, juvenis e júniores. em todos estes escalões, apesar do avançar da idade, o sentimento era o mesmo, queria impressionar o meu pai e até jogava melhor quando sabia que ele estava a ver o jogo. um dos meus melhores jogos foi precisamente na sua terra natal, penalva do castelo, jogava eu nos júniores. lembro-me bem desse jogo porque os responsáveis técnicos da minha equipa só deram conta da falta do equipamento quando chegaram a penalva do castelo. os jogadores tinham vindo todos, mas tinham ficado lá os equipamentos. com toda aquela confusão e com a pressão do árbitro para entrarmos no terreno, os responsáveis do penalva tiveram o bom senso de nos emprestar uns equipamentos velhos que lá tinham. já estávamos equipados e preparados para entrar no campo quando chegou um táxi com o equipamento. alguém tinha dado conta que eles tinham ficado lá e enviou-os pelo taxista. vestimo-nos à pressa e entramos no terreno devidamente equipados. perdemos 2-0, sem espinhas, mas lembro-me de ter recebido várias felicitações dos meus colegas de equipa e do meu treinador pela minha exibição. mas para mim o principal tinha sido o meu pai ter visto...
vem todo este palavreado a propósito da entrada do meu filho no mundo do futebol, neste caso de salão, aos nove anos e meio. inscrevemo-lo no viseu futsal, que este ano vai competir a nível distrital também na categoria de "escolas". o viseu futsal, em séniores, disputa actualmente a 2ª divisão nacional - série norte, competindo com equipas como o boavista, rio ave, sp. braga e gondomar, portanto é uma equipa já com alguns pergaminhos na modalidade, apesar da sua ainda curta existência (foi fundado em 18 de janeiro de 2002).
depois de dois treinos, o pedro continua eufórico e cheio de entusiasmo. confesso que nem eu nem a mãe esperávamos um entrosamento tão fácil, porque o pedro sempre foi muito retraído e introvertido e, ainda por cima, não conhecia ninguém quando começou. hoje foi o segundo treino e o pedro já demonstrou alguma progressão. marcou dois golos e, em cada um deles, olhou para a bancada na minha direcção, para saber se eu tinha visto. como é óbvio, lembrei-me das situações que relatei no início deste texto, as atitudes eram as mesmas. e vi perfeitamente todos os seus movimentos, as frequentes mãos na cintura quando o jogo estava parado, a procura da bola, a vontade de querer mostrar serviço e empenho. não tirei os olhos dele durante a hora que durou o treino. no final, à imagem do que tinha acontecido na segunda-feira, o treinador colocou os jogadores a marcar penaltys. anteontem o pedro falhou; mas hoje marcou e ficou radiante. o treinador tem incentivado bastante o pedro, sabendo que este é o seu primeiro ano. tenho gostado de ver os seus métodos de treino e, sobretudo, a forma como incentiva, acompanha e educa futebolisticamente a dúzia de jogadores em potência que tem na mão.
caso as coisas corram bem e o pedro chegue mesmo à equipa que vai disputar o campeonato distrital de escolas da associação de futebol de viseu, o pedro sabe que pode contar sempre comigo nas bancadas. a sua cara de incontrolável alegria quando mete um golo é imperdível e quero vê-la muitas vezes e durante muitos anos.

2 comentários:

na outra banda disse...

belo texto...
bela expressão de orgulho na cara do Pedro :0)
congrats

saltarica2002 disse...

Duplo sentimento: orgulho e nostalgia, com uma pitadinha de tristeza...

Pois é, caro amigo, são eles a aprender a voar...
(E o mais difícil é que em breve o ninho será pequeno demais para eles!)